Negociações com Israel no Cairo estão travadas, dizem palestinos

Expectativa entre os mediadores egípcios e negociadores palestinos é a de que uma segunda reunião, hoje, seja decisiva

O Estado de S. Paulo

12 de agosto de 2014 | 09h32

CAIRO - A delegação palestina que negocia um cessar-fogo permanente no Egito com autoridades israelenses afirmou nesta terça-feira, 12, que a primeira reunião indireta realizada ontem à noite com representantes israelenses foi inconclusiva. A expectativa é a de que uma segunda reunião, hoje, seja decisiva. 

Durante as conversas, patrocinadas pelos serviços secretos egípcios, ambas as partes apresentaram suas reivindicações e ideias à parte egípcia para conseguir um cessar-fogo total e permanente.

A fonte, que não quis se identificar, também revelou que a parte israelense voltou a pedir o desarmamento da resistência palestina de Gaza, a destruição dos túneis, não desenvolver as capacidades bélicas e parar com os testes de lançamento de foguetes. A delegação palestina e o mediador egípcio rejeitaram discutir esses assuntos.

Por último, a fonte antecipou que os membros de sua delegação acertaram que o Cairo patrocine negociações sobre a troca de prisioneiros, porque não aceitarão outra mediação salvo a egípcia.

A Liga Árabe pediu ao Egito para prosseguir com seus esforços para consolidar a trégua de 72 horas conseguida entre Israel e os palestinos na Faixa de Gaza, e para que continuem as negociações indiretas entre ambas as partes.

O número de palestinos mortos desde o início da intervenção israelense se aproxima dos 2 mil, a maioria civis e 448 deles crianças, enquanto as vítimas israelenses chegam a 67 mortos e 500 feridos. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelHamasEgitoFaixa de Gaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.