Negociações da Alca estão emperradas

O segundo dia de reuniões do Comitê de Negociações Comerciais (CNC) da Área de Livre Comérciodas Américas (Alca) concluiu-se nesta quarta-feira em Buenos Aires sem grandes avanços.O secretário para Assuntos deIntegração e América Latina, embaixador José Alfredo Graça Lima, representante brasileiro nas negociações da Alca,declarou que as discussões estão ?emperradas?.A demora nas negociações não se deve somente ao conteúdo dos pontos analisados, mas também à linguagem, já queos diversos representantes podem ter interpretações diferentes para palavras específicas: ?Isto impediu que se fizesse umprogresso especial nestes dois primeiros dias?, disse o representante brasileiro.Segundo o embaixador Graça Lima, os temas de maior conflito estão sendo as compras governamentais e a solução decontrovérsias.Além disso, existem discussões intensas sobre leis antidumping. Os negociadores também estão enfrentando dificuldades para chegar a consenso sobre as datas para o início denegociações futuras.A data das negociações sobre o acesso aos mercados é uma das que mais têm causadodiscussões.Graça Lima explicou que os representantes norte-americanos atrasaram as negociações mais ainda quando propuseram ainclusão de legislação sobre meio-ambiente e leis trabalhistas.No entanto, ?estas propostas não foram aceitas pelamaioria dos países, que consideraram que estas questões estavam fora das negociações?, segundo o representante brasileiro.O embaixador Graça Lima sustentou que, se o impasse continuar, poderá haver acúmulo de trabalho para o sábado, encavalando-se com o último dia das reuniões dos ministros do Comércio.Segundo ele, ?os ministros receberão umdocumento com pontos menos elaborados, muito genéricos, que será levado à reunião de presidentes de Quebec, econseqüentemente, atrasando todo o cronograma?.O vice-chanceler argentino Horacio Chighizola afirmou que teme que os negociadores ?cheguem ao sábado comdemasiados colchetes nos textos?.Estes colchetes consistem em trechos do texto que causam divergências entre os diversos países.Chighizola tambémconfessou que ?o entusiasmo dos dias anteriores foi um pouco exagerado?. Ele disse que a próxima reunião da CNC será organizada pelo Equador e que ?poderia ser realizada em agosto?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.