Negociações entre facções afegãs chegam a impasse

Um dirigente da Frente Unida (ex-Aliança do Norte) abandonou a conferência para a formação de um futuro governo para o Afeganistão, que se realiza desde terça-feira nos arredores de Berlim. Em Cabul, a capital afegã, o líder nominal da aliança rejeitou vários pontos já acertados pelos negociadores na Alemanha. A conferência em Königswinter foi abandonada pelo governador da Província de Nangarhar, Abdul Qadir, em protesto contra a ausência de uma representação da etnia pashtu no encontro. Os pashstus são mais da metade da população afegã e a essa etnia pertence a maioria dos dirigentes do Taleban. Em Cabul, o ex-presidente afegão Burhanuddin Rabbani, que chefiou o governo deposto pelo Taleban em 1996 e hoje é o líder nominal da Frente Unida, disse que os nomes que vão compor o governo interino pós-Taliban não deveriam ser escolhidos na conferência de Königswinter, que, para ele, é menos representativa do que deveria. Rabbani também rejeitou o plano de envio de uma força internacional de manutenção da paz para o Afeganistão. "As conversações chegaram a um impasse", disse em Washington um alto funcionário norte-americano, que pediu para não ter seu nome revelado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.