Negociações entre Hamas e Fatah são suspensas

As negociações entre o grupo islâmico Hamas e o partido laico Fatah para formar um governo de coalizão palestino foram suspensas nesta segunda-feira, 20, por falta de acordo sobre a divisão dos ministérios. A informação é de Nabil Amr, porta-voz do presidente palestino, Mahmud Abbas, do Fatah. "O único progresso a que se chegou depois de mil horas de diálogo foi o nome do novo premier", disse Amr, referindo-se ao deputado independente Mohamed Shabir. De acordo com autoridades palestinas, Abbas ficou furioso depois que o primeiro-ministro, Ismail Haniye, do Hamas, se recusou a ceder os ministérios das Finanças e do Interior, responsáveis, respectivamente, pela distribuição de recursos e a coordenação das forças de segurança. O Hamas não negou que as negociações tivessem chegado a um impasse, mas evitou falar em suspensão. "O diálogo está avançando e ainda tem um longo caminho pela frente", disse o porta-voz do grupo, Fawzi Barhoum. Os dois partidos palestinos estão tentando formar um novo governo há dois meses. A idéia é convencer a comunidade internacional, que quer um governo moderado na região, a levantar as sanções econômicas impostas aos palestinos quando Haniye assumiu, em março. Dezenas de palestinos se reuniram nesta segunda na frente da casa do militante do Hamas Wael Rajab, em Beit Lahiya, para impedir um ataque da Força Aérea israelense ao imóvel. No domingo, a tática de criar um escudo humano em volta de alvos declarados de Israel impediu a destruição de duas outras casas de militantes do grupo islâmico no norte da Faixa de Gaza.

Agencia Estado,

20 Novembro 2006 | 18h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.