Negociações nucleares iranianas deve ser estendidas

Os negociadores que participaram nas conversações sobre o programa nuclear iraniano não conseguiram fechar um acordo que aliviaria os temores internacionais sobre o programa de Teerã e devem estender as negociações para um pacto amplo até julho de 2015, informaram diplomatas.

Estadão Conteúdo

24 Novembro 2014 | 12h23

Sob os termos de acordos limitados, alcançados após intensos seis dias de conversações em Viena, um pacto político deve ser concluído até 1º de março, sendo que os detalhes finais devem constar de anexos que serão confirmados até 1º de julho, afirmaram os diplomatas.

Irã e o P5+1 (Estados Unidos, Reino Unido, Rússia, China, França e Alemanha) haviam determinado a meia-noite desta segunda-feira como prazo final para o alcance de um acordo sobre um mecanismo no qual os caminhos para que o Irã desenvolvesse armas nucleares seriam fechados, em troca de um alívio nas sanções internacionais impostas ao país.

O secretário de Relações Exteriores do Reino Unido, Philip Hammond, declarou que "não foi possível cumprir o prazo" em razão das amplas diferenças e conhecidos pontos de discórdia, que incluem os níveis de enriquecimento de urânio pelo Irã e o número de centrífugas que o país terá permissão para operar.

Ele destacou que, embora 1º de julho seja o novo prazo final para um acordo abrangente, a expectativa é que um pacto amplo seja alcançado até 1º de março.

Neste ínterim, as negociações serão retomadas em dezembro em um local ainda não determinado e o Irã vai receber cerca de US$ 700 milhões por mês de ativos congelados, informou Hammond.

O secretário de Estado norte-americano John Kerry e o ministro de Relações Exteriores iraniano Javad Zarif concordaram no domingo em iniciar as discussões sobre a extensão quando ficasse claro que seria difícil superar as diferenças entre eles em tempo até o prazo final. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.