Negociações sírias devem recomeçar em 10 de fevereiro

Os oito dias de negociações entre governo e oposição sírios em Genebra, na Suíça, terminaram sem resultados tangíveis, mas o negociador Lakhdar Brahimi, que representou a Organização das Nações Unidas e a Liga Árabe nas conversações de paz, tentou

Agência Estado

31 de janeiro de 2014 | 14h34

dar um ar otimista após o final do encontro, sugerindo a data de 10 de fevereiro para uma nova tentativa de um acordo.

Segundo Brahimi disse aos jornalistas, os dois lados concordaram em se reunir novamente. "O progresso é muito lento, de fato, mas os lados, se comprometeram de uma forma aceitável. Trata-se de um modesto início sobre o qual podemos erguer algo", disse Brahimi aos jornalistas no Palácio das Nações da ONU, em Genebra.

"As lacunas entre os lados continuam largas, não há porque fingir o contrário. Porém, durante nossas discussões, eu observei um pouco de interesse comum, talvez mais do que os dois lados tenham se dado conta ou reconheçam", disse ele.

Brahimi disse que a oposição concordou em retornar para um encontro em 10 de fevereiro e o governo também concordou em voltar a Genebra, mas que primeiro queria algum tempo para fazer consultas em Damasco antes de fechar uma data exata para o próximo encontro.

As negociações foram marcadas por questões como a presença ou não do presidente Bashar Assad num governo de transição sírio, algo que a oposição exige e o governo não aceita.

O porta-voz da oposição, Louay Safi, afirmou nesta sexta-feira que um governo de transição é a única forma de seguir adiante. "O regime claramente não quer uma solução política, não quer dar um passo adiante para encerrar o sofrimento sírio", declarou. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaconferênciaGenebraBrahimi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.