Negociador de paz com as Farc é nomeado ministro do pós-conflito

Presidente colombiano anunciou a nomeação de Oscar Naranjo como parte de uma reforma ministerial 

O Estado de S. Paulo

14 de agosto de 2014 | 10h33

BOGOTÁ - O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, nomeou o general reformado da Polícia, Oscar Naranjo, como ministro conselheiro de pós-conflito, cargo que exercerá paralelamente ao de membro da equipe negociadora do governo que dialoga com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em Cuba.

Santos anunciou a nomeação de Naranjo como parte de uma reforma ministerial que incluiu a extinção de altas secretarias e a criação de quatro cargos de nível ministerial.

O presidente destacou a bem-sucedida carreira de Naranjo como diretor da polícia colombiana e afirmou que agora ele será encarregado de "formular, estruturar e coordenar as políticas relacionadas ao pós-conflito". Naranjo também terá a missão de modernizar os modelos de segurança, de desmobilização e reintegração dos guerrilheiros.

Santos explicou que as novas funções não permitirão que Naranjo esteja em tempo integral nos diálogos de paz com as Farc em Cuba, mas ele "acompanhará essa última fase" na medida em que suas novas obrigações permitirem. Naranjo terá uma responsabilidade "quase igual ou mais difícil do que o próprio processo de paz" do governo colombiano, acrescentou Santos.

O Executivo e as Farc começaram a buscar uma saída negociada ao conflito em novembro de 2012 e já alcançaram acordos nos pontos: terras, participação política e drogas. Nesta semana, começaram a discutir o tema das vítimas, o quarto ponto da agenda.

Além de Naranjo, Santos nomeou o ex-ministro de Justiça e do Interior, Néstor Humberto Martínez, como ministro da Presidência; María Lorena Gutiérrez como ministra conselheira do governo e do Setor Privado e a jornalista Pilar Calderón como ministra conselheira de Comunicações.

Santos entregou ao vice-presidente, Germán Vargas Lleras, a função de "coordenar e zelar pela execução de projetos de infraestrutura, habitação e macroprojetos". Lleras também dirigirá a comissão de projetos de interesse geral estratégico, "ou seja, uns 30 projetos de grande importância que terão especial extensão e atenção" em diferentes frentes. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaJuan Manuel SantosFarc

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.