Negociador dos EUA e ElBaradei vão a Pequim esta semana

O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Mohamed ElBaradei, e o negociador dos Estados Unidos para o desarmamento nuclear norte-coreano, Christopher Hill, estarão em Pequim esta semana e é provável que se reúnam."É provável que ElBaradei e Hill tenham uma reunião em Pequim, mas não temos ainda uma data nem hora", disse nesta terça-feira, 13, a assessora de imprensa da embaixada dos EUA, Susan Stevenson.Hill deverá chegar nesta quarta-feira, 14, à capital chinesa, para participar da reunião dos grupos de trabalho que negociam o desarmamento nuclear norte-coreano. ElBaradei, que nesta terça-feira foi à Coréia do Norte para uma visita de um dia, voltará depois à China.ElBaradei chegou na segunda-feira, 12, a Pequim, onde se reuniu com o negociador chinês, Wu Dawei, para discutir o acordo de 13 de fevereiro entre as duas Coréias, EUA, Japão, Rússia e China.O diretor da AIEA disse que as negociações com os norte-coreanos serão "um processo complexo".Grupos de trabalhoDos cinco grupos de trabalho previstos na assinatura do acordo, só dois se reuniram: os que tratam da normalização de laços diplomáticos da Coréia do Norte com os EUA (em Nova York, dias 5 e 6 de março, com um resultado otimista) e com o Japão (8 de março, em Hanói, sem avanços).O grupo sobre cooperação econômica e energética, sob a liderança da Coréia do Sul, começa a trabalhar nesta quinta-feira, 15, na embaixada sul-coreana em Pequim, segundo informou nesta terça-feira, 13, o Ministério de Relações Exteriores sul-coreano.O grupo da desnuclearização, encabeçado pela China, iniciará suas reuniões no dia 17 de março, segundo anunciou o negociador chinês Wu, citado pela agência de notícias chinesa Xinhua.A Rússia está encarregada do grupo responsável por criar ummecanismo de paz e segurança no nordeste da Ásia. "É provável que os trabalhos comecem no fim desta semana, mas ainda não sabemos a data", declarou o chefe de imprensa da embaixada russa.O diálogo será retomado em Pequim no dia 19 de março. Será oprimeiro encontro para dar os passos concretos e aplicar o histórico acordo do mês passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.