Negociadores de UE e Irã adiam diálogo para próxima semana

Os principais negociadores iranianos e europeus se reuniram na noite desta quinta-feira em Bruxelas, mas discutiram apenas informalmente o programa nuclear do Irã e optaram por adiar o diálogo formal para a próxima semana, informaram porta-vozes dos representantes das duas partes.O diretor de política externa da União Européia (UE), Javier Solana, e o chefe dos negociadores nucleares iranianos, Ali Larijani, deveriam ter se reunido na quarta-feira em Bruxelas. Inicialmente sem oferecer explicações, Larijani pediu que o encontro entre os dois fosse adiado para esta quinta.Mais tarde, representantes do Irã explicaram que o país pediu o adiamento da reunião de quarta para quinta porque ficaram insatisfeitos com um protesto de iranianos exilados em Paris e com a aparição de um líder iraniano de oposição no Parlamento Europeu.Esperava-se que Solana obtivesse no encontro algum indício da resposta do Irã a um pacote de incentivos oferecido pelas principais potências nucleares do planeta para que Teerã abandone seu programa de enriquecimento de urânio.Uma porta-voz da UE, Cristina Gallach, informou que Solana e Larijani, acompanhados de assessores, jantaram na noite desta quinta em Bruxelas e decidiram voltar a se reunir na capital belga na próxima terça-feira para conversar formalmente sobre o pacote.Autoridades iranianas têm dito que o governo do país ainda procura o esclarecimento de "ambigüidades" contidas na proposta elaborada por Alemanha, China, Estados Unidos, França, Grã-Bretanha e Rússia.No documento, as principais potências atômicas do mundo exigem que o Irã suspenda suas atividades nucleares enquanto persistirem as negociações e se comprometa com uma moratória de longo prazo até que a comunidade internacional "se convença" de que o programa nuclear iraniano é pacífico.O enriquecimento de urânio é um processo necessário para a geração de combustível para o funcionamento das usinas nucleares. Em grande escala, o enriquecimento de urânio também pode resultar em material próprio para carregar ogivas atômicas.Os EUA acusam o Irã de desenvolver em segredo um programa nuclear bélico. O governo iraniano nega e assegura que suas usinas atômicas têm fins estritamente pacíficos de geração de energia elétrica.Diplomatas ocidentais têm ameaçado reiniciar os esforços para buscar possíveis sanções contra o Irã no Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU) se Teerã não suspender suas atividades nucleares e não aceitar ingressar em negociações até o próximo dia 12.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.