Negroponte: não há dúvidas de que Coréia enriqueceu urânio

O número dois do Departamento Estado americano, John Negroponte, disse nesta terça-feira, 6, não ter dúvidas de que a Coréia do Norte já possuiu um programa de enriquecimento de urânio. Ele pediu que o isolado regime comunista revele todas as suas atividades nucleares caso queira conservar o clima pacífico alcançado pelas duas nações nos últimos dias. A afirmação do alto diplomata americano - que há até pouco tempo era o chefe dos serviços de inteligência dos Estados Unidos - veio após o surgimento de dúvidas relativas a informes de inteligência sobre a existência de tal programa. Representantes dos Estados Unidos e a Coréia do Norte estão atualmente reunidos em Nova York para discutir reatamento das relações diplomáticas entre os dois países. As conversas são parte de um acordo firmado em fevereiro que prevê o desarmamento da Coréia do Norte em troca da concessão de ajuda ao regime de Kim Jong Il.Falando durante uma visita à Coréia do Sul, Negroponte insistiu nesta terça-feira na necessidade de que Pyongyang traga à tona todas as facetas de seu programa nuclear.Segundo o diplomata, caso o país omita qualquer detalhe, "o efeito será a quebra da confiança no acordo como um todo". Negroponte acrescentou "não ter nenhuma dúvida de que a Coréia do Norte já possuiu um programa de enriquecimento de urânio em larga escala". Ele exortou a nação comunista a confirmar a existência desse programa em uma declaração sobre o seu programa de armas nucleares, prevista para a primeira quinzena de abril.Para o diplomata americano, a divulgação desse relatório será o primeiro teste sobre o comprometimento de Pyongyang em se desarmar. DúvidasA Coréia do Norte realizou seu primeiro teste com uma bomba nuclear em outubro. A ogiva do artefato usava plutônio como combustível.Nos últimos dias, surgiram dúvidas sobre a real existência de um programa de processamento de urânio norte-coreano. Isso porque, na semana passada, um alto funcionário da inteligência americana admitiu que os Estados Unidos tinham apenas "alguma confiança" na informação de que Pyongyang havia enriquecido o combustível nuclear.A revelação é polêmica porque a suposta existência do programa resultou no colapso de um acordo alcançado com a Coréia do Norte em 2002.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.