Nenhum país deve perturbar paz mundial, diz presidente da China

Sob pressão para endurecer o tom contra a Coreia do Norte, Xi Jinping afirmou que buscará reduzir tensões

Agência Estado

07 de abril de 2013 | 09h36

A crescente pressão sobre Pequim para endurecer seu discurso contra a Coreia do Norte levou o presidente chinês, Xi Jinping, a dizer que não deve ser permitido a "nenhum país" perturbar a paz mundial. Sem especificar qualquer país, Xi fez a afirmação em discurso num fórum empresarial no sul da China. O presidente chinês acrescentou que irá desempenhar um papel construtivo na redução das tensões regionais.

Segundo Xi, a China não tem nenhum plano concreto para lidar com a Coreia do Norte, que elevou as tensões regionais por meio de uma retórica de guerra contra a Coreia do Sul e os Estados Unidos e de implementação de mísseis nas últimas semanas.

Na sexta-feira, 5, o Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte comunicou à comunidade diplomática em Pyongyang que vai elaborar um plano de retirada para os estrangeiros que desejarem deixar o país ou se instalar fora da capital, o principal alvo na hipótese de um conflito militar.

No dia seguinte, a Organização das Nações Unidas suspendeu o envio de novos funcionários para a Coreia do Norte, mas decidiu manter em Pyongyang os que já estão trabalhando no país.

Nesta semana, a Coreia do Norte transferiu mísseis com "alcance considerável" para sua costa leste, informou o ministro da Defesa sul-coreano, acrescentando, porém, que não há sinais de que Pyongyang estaria se preparando para um amplo conflito.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaCoreia do Norte

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.