Nenhum sinal de fissão sustentada em reator danificado no Japão

A radiação detectada pela operadora da usina nuclear atingida por um tsunami no Japão não foi o resultado de uma fissão nuclear sustentada, disse a companhia nesta quinta-feira.

REUTERS

03 de novembro de 2011 | 11h25

A Tokyo Electric Power disse na quarta-feira que tinha encontrado xenon, uma substância produzida como um subproduto da fissão, no reator número 2 de sua usina Fukushima Daiichi, e que tinha lançado uma mistura de água e ácido bórico, um agente que ajuda a prevenir reações nucleares, como forma de precaução.

"A análise sugere que não era algo crítico", disse Ai Tanaka, porta-voz da empresa conhecida comumente como Tepco.

A instalação nuclear foi atingida por um terremoto devastador e um tsunami em março, e liberou radiação na atmosfera desde então, na pior crise nuclear do mundo desde Chernobyl, há 25 anos.

Os bastões de combustível no reator número 2 e dois outros reatores derreteram no início da crise, depois que o tsunami destruiu o sistema de resfriamento da usina.

A empresa, que foi amplamente criticado por sua lenta liberação de informações nos primeiros dias do desastre, passou a reduzir as temperaturas nos três reatores danificados em relação aos níveis considerados perigosos.

A companhia espera declarar um desligamento frio -- quando as temperaturas são estabilizadas abaixo do ponto de ebulição -- ainda este ano.

A Tepco disse em outubro que a quantidade de radiação que está sendo emitida a partir do complexo era metade de um mês antes, no mais recente sinal de que os esforços para trazer a unidade sob controle estão progredindo.

(Reportagem de Tim Kelly)

Tudo o que sabemos sobre:
JAPAONUCLEARREATOR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.