REUTERS/Kai Pfaffenbach/Pool
REUTERS/Kai Pfaffenbach/Pool

Neonazista é condenado à prisão perpétua na Alemanha por morte de político pró-migração

Stephan Ernst, de 47 anos, matou o político Walter Lübcke, de 65, com um tiro na cabeça, em junho de 2019; cúmplice que ensinou alemão a atirar foi condenado a 1 ano e meio de prisão

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de janeiro de 2021 | 07h20

FRANKFURT - O neonazista alemão Stephan Ernst, 47, foi condenado à prisão perpétua por um tribunal de Frankfurt, nesta quinta-feira, 28, pelo assassinato, em junho de 2019, de um político do partido da chanceler Angela Merkel que favorecia a acolhida de migrantes.

Ernst matou, com um tiro na cabeça, Walter Lübcke, um político de 65 anos da CDU, partido de Merkel.

Um cúmplice de Ernst, que o ensinou a atirar - sem saber, aparentemente, de suas intenções - foi condenado a um ano e seis meses de prisão. 

Tratou-se de um julgamento histórico, já que Lübcke foi o primeiro político assassinado no país desde 1945.

Durante o julgamento, Ernst pediu perdão à família da vítima por seu crime "cruel e covarde".

Lübcke manifestava seu claro apoio à recepção de migrantes decidida por Merkel. Entre 2015 e 2016, mais de um milhão de refugiados foram recebidos na Alemanha./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.