Neonazistas atacam duas escolas públicas na Grécia

O Partido Socialista grego, Pasok, que faz parte do governo de coalizão dirigido pelo conservador Antonis Samaras, condenou ontem os atos de vandalismo cometidos por neonazistas em duas escolas frequentadas por imigrantes em Kokinia, cidade que fica a sudoeste da capital, Atenas.

ATENAS, O Estado de S.Paulo

18 de agosto de 2014 | 02h00

Na noite do sábado, homens ainda não identificados provocaram danos a escolas públicas onde voluntários ministram aulas de grego para imigrantes. Os agressores escreveram mensagens racistas e roubaram objetos, segundo a polícia.

"As agressões dos neonazistas e criminosos do Aurora Dourada (partido neonazista grego) não impedirão a ajuda dos professores aos imigrantes, que chegam ao nosso país em busca de uma vida melhor", informou o Pasok em um comunicado no qual pediu também às autoridades para "prender os culpados" e garantir a segurança dos alunos e docentes.

O incidente ocorreu no dia do 70º aniversário da execução de mais de cem pessoas em Kokinia pelos nazistas, em 1944. A cidade era um dos redutos da resistência na 2.ª Guerra.

Desde o assassinato, em 18 de setembro de 2013, do músico antifascista Pavlos Fyssas por um membro do Aurora Dourada, a polícia e a Justiça lançaram uma ofensiva sem precedentes contra o partido, cujos principais dirigentes se encontram presos por fazer parte de uma "organização criminosa".

Números divulgados pela Autoridade de Estatística grega (Elstat), o Banco da Grécia e os dados do maior fundo de segurança social da Grécia, mostram que os imigrantes estão deixando o país. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.