Dave Lintott / AFP
Dave Lintott / AFP

Neozelandeses entregam voluntariamente suas armas após massacre

Governo local iniciou um processo para alterar a lei de armas no país em meio aos crescentes pedidos da população por um controle mais rigoroso

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2019 | 11h10

Menos de uma semana após o ataque a tiros que deixou 50 pessoas mortas em Christchurch, na última sexta-feira 15, muitos donos de armas têm entregado voluntariamente seus armamentos e munições às autoridades da Nova Zelândia.

O governo local iniciou um processo para alterar a lei de armas no país em meio aos crescentes pedidos da população por um controle mais rigoroso. Desde segunda, a polícia pede que portadores de armamentos entrem em contato com a delegacia mais próxima e se informem sobre como transportar os objetos com segurança.

Quando abriu fogo contra duas mesquitas na cidade neozelandesa, Brenton Tarrant, nascido na Austrália, portava cinco armas legalmente registradas. Ele foi preso e acusado de homicídio.

Estima-se que existam 1,1 milhão de armas de fogo na Nova Zelândia, proporção de uma para cada quatro habitantes, incluindo armamentos para caça. / Agência Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.