Nepal festeja fim do poder absoluto do rei Gyanendra

Milhares de nepaleses tomaram as ruas de diversas cidades do país para comemorar a decisão do Parlamento de tirar todo o poder do rei , que passou a ser monarca constitucional. Esta sexta-feira é feriado no Nepal. Todos os escritórios governamentais e colégios estão fechados.Ao meio-dia deverá acontecer um comício em Katmandu, com os principais líderes políticos do país. O Parlamento do Nepal aprovou na quinta-feira, por unanimidade, uma moção histórica que cortou drasticamente o poder de Gyanendra. Ele perdeu o controle sobre o Exército, passou a ter responsabilidade penal e civil nos tribunais e será obrigado a pagar impostos.O rei nepalês tinha assumido duas vezes o poder absoluto. A última foi em fevereiro de 2005. Mas uma revolta popular em abril acabou com suas pretensões absolutistas. A moção ainda depende de uma série de leis para entrar em vigor. Mas já tira do rei a condição de "comandante supremo do Exército" e declara o Nepal um Estado secular. Até agora, o país era um "Reino hindu".Os rebeldes maoístas apoiaram a moção. Mas seu principal líder, Prachanda, lembrou que o objetivo continua sendo a eliminação da monarquia. O conflito maoísta começou em 1996 e provocou a morte de mais de 12 mil pessoas. O grupo já anunciou que está disposto a negociar com o novo governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.