Nepal impede protesto de tibetanos contra a China e prende 600

Centenas de exilados tibetanos,incluindo freiras e monges, gritaram slogans contra a China eentraram em choque com a polícia em Katmandu nestaquinta-feira, depois foram forçados a entrar em caminhões elevados para centros de detenção, informou a polícia do Nepal. Cerca de 600 manifestantes foram detidos por tentar invadirum escritório de concessão de vistos na embaixada chinesa, masnão ficou claro se ele foram indiciados. Os tibetanos exilados no Nepal, estimados em cerca de20.000, estão protestando quase diariamente em Katmandu desdeque em março a China usou de força para subjugar distúrbios noTibete. Gritando slogans como "Longa vida para o Dalai Lama" -- olíder espiritual do Tibete -- e Abaixo Hu Jintao", presidentechinês, os manifestantes entraram nesta quarta-feira em umbreve choque com a polícia. "Queremos um Tibete livre", gritavam ao serem conduzidosaos centros de detenção. Alguns exilados, incluindo mulheres, choravam quando apolícia os forçou a entrar nos caminhões. O Nepal considera o Tibete parte da China, que é um doadorimportante de ajuda ao país, e não permite manifestaçõesanti-China por parte dos tibetanos que fugiram de sua terranatal depois do fracassado levante de 1959 contra o domíniochinês. Na Índia, a polícia prendeu 30 tibetanos nesta quarta-feirano Estado himalaio de Himachal Pradesh quando eles se dirigiamà fronteira chinesa. Os detidos serão conduzidos a um juiz naquinta-feira, informou a polícia. (Reportagem de Gopal Sharma; Reportagem adicional deAbhishek Madhukar em Dharamsala)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.