Nepal impõe toque de recolher após mortes no Iraque

O governo do Nepal impôs um toque de recolher por tempo indeterminado e pediu calma depois de milhares de manifestantes terem saqueado uma mesquita e entrado em choque com a polícia para protestar contra o assassinato de 12 reféns nepaleses por rebeldes iraquianos no país árabe. Um manifestante morreu em decorrência dos ferimentos ocorridos nos choques, disseram médicos do Hospital Bir, situado na capital nepalesa. Três manifestantes continuam internados em condições críticas de saúde."Nós queremos vingança", gritavam manifestantes no momento em que invadiam a mesquita de Jame, único templo islâmico de Katmandu. Eles quebraram janelas, queimaram tapetes, móveis e incendiaram parte do prédio. Não havia ninguém no interior do santuário no momento da invasão. A polícia lançou bombas de gás lacrimogêneo em uma tentativa fracassada de dispersar a multidão.Em um pronunciamento na televisão estatal, o primeiro-ministro do Nepal, Sher Bahadur Deuba, pediu calma. "Os terroristas não tem religião nem casta. É por isso que eu apelo a todos os nepaleses para que não tomem o caminho errado de promover, contra qualquer comunidade, atos cruéis e desumanos iguais aos do terroristas", declarou Deuba. "Eu peço a todos que sejam pacientes, demonstrem tolerância e se unam nesse momento de tristeza", prosseguiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.