Netanyahu defende manutenção de sanções contra o Irã

Enquanto a comunidade internacional se mobiliza para finalizar um acordo nuclear com o Irã, o primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu afirmou que as sanções contra o país devem ser mantidas. Ele declarou que as restrições devem continuar enquanto o Irã não acabar com a "agressão" regional.

Estadão Conteúdo

12 de abril de 2015 | 12h29

Netanyahu criticou duramente o esboço de acordo firmado com o Irã sob a liderança dos Estados Unidos. O acordo preliminar oferece um alívio às sanções em troca de uma redução no programa nuclear iraniano.

O primeiro ministro israelense declarou neste domingo que um acordo melhor seria atrelar o fim de todas as sanções ao "fim da agressão do Irã na região, de seu terrorismo internacional e de suas ameaças de aniquilar Israel". O Irã demanda que todas as sanções sejam removidas no dia em que o acordo entre em vigor.

O Irã apoia grupos militantes que lutam contra Israel, incluindo o Hamas e o libanês Hezbollah, assim como forças que combatem na Síria, Iraque e Iêmen. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelIrãnuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.