Netanyahu diz que acordo interino é uma possibilidade

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse hoje que se as negociações não forem retomadas e não houver uma solução para o conflito israelo-palestino ele buscará um acordo interino ao invés de um amplo e definitivo, como desejam os Estados Unidos. Os palestinos rejeitam essa ideia.

AE, Agência Estado

27 de dezembro de 2010 | 19h45

Em entrevista ao canal 10 da televisão israelense, Netanyahu disse que poderá buscar um acordo de curto prazo com a Autoridade Nacional Palestina (ANP) se não houver consenso sobre questões mais amplas, como o status futuro de Jerusalém.

"Talvez tenhamos atingido um muro de resistências - um muro sobre o tópico de Jerusalém, sobre a questão dos refugiados (palestinos), por isso pode ser que o resultado seja um acordo interino", afirmou.

Ontem, o chanceler de Israel, Avigdor Lieberman, lançou indiretamente a mesma proposta. A ideia foi rechaçada pelo principal negociador da ANP, Saeb Erekat. "Não é a hora de soluções interinas. A hora é de decisões sobre o status permanente de questões mais amplas", disse Erekat. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.