Netanyahu e Straw discutem "furiosamente" pelo telefone

A imprensa britânica informou que o chanceler do país, Jack Straw, manteve ontem uma "discussão furiosa" por telefone com o chefe da diplomacia de Israel, Benjamin Netanyahu, por causa da decisão israelense de proibir uma delegação da Autoridade Nacional Palestina (ANP) de viajar para Londres, onde tomaria parte, no dia 14, em uma conferência promovida pelo primeiro-ministro Tony Blair.A reunião deverá discutir reformas na ANP e a retomada do processo de paz.Israel adotou a medida em represália ao duplo atentado suicida palestino de domingo em Tel Aviv, no qual morreram 22 pedestres, além dos dois extremistas.Segundo o diário Daily Telegraph, Straw telefonou a Netanyahu para tentar convencê-lo a mudar de idéia, mas o chanceler israelense respondeu, de forma rude, que a Grã-Bretanha deveria assumir a posição do presidente norte-americano, George W. Bush, de que "os líderes implicados em terrorismo não podem ser sócios da paz"."Vocês na Grã-Bretanha estão fazendo exatamente o contrário", reclamou Netanyahu, ao que Straw respondeu: "Em vez de (Israel) concentrar-se em combater o terrorismo, ataca delegados."O secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, apenas "lamentou" a decisão israelense. A Grã-Bretanha continua pressionado pela liberação da viagem.Blair convidou delegados da ANP, o chamado "Quarteto" que estuda propostas para o processo de paz - composto por Rússia, ONU, EUA e União Européia - e também Egito, Arábia Saudita e Jordânia.Um porta-voz de Blair garantiu que os preparativos para a conferência prosseguem, desmentindo notícia de que ela havia sido cancelada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.