Netanyahu fala das condições para paz com palestinos

Pouco antes da retomada das negociações diretas entre Israel e os palestinos, o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu reafirmou, neste domingo, o que chamou de componentes essenciais para um acordo de paz, sendo o principal deles o reconhecimento de Israel como a terra dos judeus.

AE, Agência Estado

29 de agosto de 2010 | 11h56

Netanyahu vai se reunir com o presidente palestino Mahmud Abbas em Washington, na quinta-feira, para as primeiras negociações diretas desde que os palestinos abandonaram as negociações em dezembro de 2008, quando Israel lançou uma sangrenta ofensiva contra a Faixa de Gaza.

Falando aos jornalistas no início da reunião semanal de gabinete, Netanyahu disse que um acordo terá de ser baseado "primeiramente no reconhecimento de Israel como o Estado nacional do povo judeu, no fim do conflito e no final de novas exigências em relação a Israel".

Os palestinos negam-se a aceitar Israel como um Estado essencialmente judeu pois isso implicaria em deixar de lado o fato de que os refugiados que deixaram Israel ou foram expulsos quando o país foi criado em 1948, além de seus descendentes, devem ter direito a reclamar de volta suas antigas casas, agora no território israelense.

Netanyahu disse que também vai buscar "arranjos verdadeiros de segurança" que evitem a ocorrência na Cisjordânia de eventos que aconteceram na Faixa de Gaza depois da saída de Israel do território em 2005 e no sul do Líbano, após a retirada israelense em 2000. O Hamas tomou o controle de Gaza e usa a faixa costeira como local de lançamento de ataques contra Israel. O grupo libanês xiita Hezbollah travou uma sangrenta guerra com Israel em 2006.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.