Netanyahu nega desculpas à Turquia por ataque a barco

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, recusou-se a pedir desculpas à Turquia pelo ataque de 2010 contra um barco turco que avançou na região bloqueada por Israel em Gaza. Na ação, nove turcos morreram, o que abalou as relações entre os dois países.

AE, Agência Estado

04 Setembro 2011 | 12h29

"Nós não precisamos pedir desculpas por agir para defender nossos cidadãos, nossas crianças e nossas comunidades", disse Netanyahu a jornalistas e a seu gabinete, na primeira declaração pública desde que a Turquia anunciou, na última sexta-feira, a expulsão do embaixador de Israel de Ancara. A Turquia anunciou também o congelamento das relações militares com Israel.

Netanyahu expressou, porém, condolências pela morte de cidadãos turcos e disse querer reatar os laços com a Turquia, um dos aliados mais próximos do país no mundo islâmico. Ancara exige que Israel peça desculpas e suspenda o embargo a Gaza, território palestino administrado por militantes do Hamas e marcado por uma longa história de violência contra Israel. Netanyahu disse que Israel apenas tenta evitar que armas cheguem a Gaza e que não há, portanto, motivo para se desculpar.

Ele disse que Israel "expressa condolências" pelas mortes - uma fórmula que a Turquia considera inaceitável para substituir o pedido de desculpas - e que "Israel nunca desejou a deterioração dos laços com a Turquia". "Israel não quer agora a deterioração dos laços", afirmou. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Turquia Israel desculpas barco Gaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.