Netanyahu nega-se a falar sobre ataque aéreo no Líbano

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, recusou-se a dizer se seu país realizou ou não um ataque aéreo contra um suposto carregamento de armas do Líbano para a Síria, na noite de segunda-feira.

Agência Estado

25 de fevereiro de 2014 | 11h02

Ao lado da chanceler alemã Angela Merkel, que está em visita a Israel, Netanyahu disse nesta terça-feira que a polícia israelense é a de não discutir o que outros países dizem que seu país faz. Ele declarou que "fazemos tudo o que é necessário para proteger a segurança dos cidadãos israelenses". "Não vamos dizer o que estamos e o que não estamos fazendo" para manter a segurança de Israel, disse ele.

A agência estatal de notícias libanesa informou que um avião israelense realizou dois ataques na noite de segunda-feira nas proximidades da cidade libanesa de Nabi Sheet, na fronteira libanesa com a Síria.

Israel tem se recusado a tomar partido na guerra civil síria, mas tem realizado vários ataques aéreos contra supostos carregamentos de mísseis, supostamente enviado pelo Hezbollah. Netanyahu prometeu evitar esse tipo de transferência de armas.

O movimento xiita Hezbollah, grande inimigo de Israel, tem enviado milhares de combatentes para a Síria que lutam ao lado das forças do presidente sírio Bashar Assad. Durante muito tempo a Síria forneceu armas e ajuda ao Hezbollah, além de servir como condutor de ajuda militar iraniana para o grupo. Fonte: Associated Press e Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelataqueSíriaLíbano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.