Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Netanyahu: Ocidente não deve ser 'enganado' pelo Irã

Alguns dias antes da reunião entre o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, o chefe de governo israelense alertou para as perspectivas de um Irã com armas nucleares e pediu aos líderes ocidentais que não se deixem "enganar" durante possíveis negociações diplomáticas com o governo iraniano sobre o programa nuclear da república islâmica.

AE, Agência Estado

02 de março de 2012 | 16h20

"O Irã sabe explorar bem as negociações, como já fez no passado, para enganar e atrasar (inspeções nucleares) e assim eles prosseguem adiante com o programa nuclear", disse Netanyahu em Ottawa, no Canadá, onde teve um reunião com o primeiro-ministro canadense Stephen Harper. "Eu acho que a comunidade internacional não deveria cair nessa armadilha", afirmou Netanyahu.

Segundo ele, no caso das negociações serem retomadas, as exigências da comunidade internacional ao Irã devem ser claras: o desmantelamento da usina nuclear subterrânea perto de Qom; a paralisação do enriquecimento de urânio no território iraniano; e a remoção de todo o combustível enriquecido do Irã. "Qualquer coisa a menos do que isso permitirá ao Irã continuar seu programa nuclear por outros meios", disse Netanyahu.

O Irã insiste que seu programa nuclear tem apenas objetivos pacíficos, mas países ocidentais suspeitam cada vez mais que Teerã realize um programa de "proliferação opaca", ou seja, que por trás de um programa nuclear para gerar energia, o país tente construir uma bomba atômica.

Já Israel tem alertado há dias que poderá bombardear o Irã, mesmo sem avisar antes os Estados Unidos. Netanyahu repetiu hoje no Canadá que ele não colocou um limite para lançar uma ação contra o Irã. "Eu quero preservar a Israel a liberdade de manobra, à luz das ameaças, cada país pediria isso", afirmou à agência France Presse (AFP).

Teste de mísseis - Israel realizará nas próximas semanas o primeiro teste um sistema antibalístico avançado, cujo objetivo é deter a ameaça de possíveis ataques do grupo xiita libanês Hezbollah e do Irã, reportou o jornal New York Times.

Doron Suslik, vice-presidente corporativo para comunicações na Israel Aerospace, disse que o teste deverá acontecer nas próximas semanas ou meses. Ele disse que três mísseis interceptores Arrow 3 serão lançados sobre o Mar Mediterrâneo e todos explodirão após certo período de voo, sem serem abatidos por mísseis interceptores.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.