Sebastian Scheiner/AP
Sebastian Scheiner/AP

Netanyahu oferece ministério a Yair Lapid

Político é do partido de centro Yesh Atid, que ganhou 19 cadeiras na eleição de terça-feira no país

AE, Agência Estado

25 de janeiro de 2013 | 10h48

TEL-AVIV - O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, ofereceu ao líder do partido Yesh Atid, Yair Lapid, o posto de Ministro das Relações Exteriores, ou de Ministro das Finanças no novo governo israelense, afirmou o jornal Yediot Aharonot.

Yesh Atid, um partido de centro formado há somente nove meses, surpreendeu o establishment político, ganhando 19 cadeiras na eleição de terça-feira e ficando em segundo lugar. O bloco de direita liderado pelo Likud-Israel Beiteinu, do primeiro-ministro Netanyahu, obteve apenas 31 dos 120 lugares no Parlamento.

O resultado deu a Lapid, um ex-âncora de TV, a possibilidade de desempenhar um papel central na coalizão que deverá ser formada por Netanyahu.

O jornal afirmou, citando fontes próximas aos dois homens que realizaram negociações secretas na casa de Netanyahu, em Jerusalém, ontem, que Lapid tinha recebido a oferta para assumir o cargo de principal diplomata de Israel ou como chefe do Tesouro.

Ambas as posições, bem como o Ministério da Defesa, são os mais altos cargos ministeriais, embora não se considere que Lapid esteja interessado na pasta da Defesa. O jornal afirmou que Lapid estaria mais interessado nos Ministérios de Habitação e do Interior, de acordo com a campanha orientada para questões sociais de seu partido nas eleições.

O próximo ministro das Finanças de Israel terá de lidar com uma grande crise orçamentária e uma série de cortes de austeridade severos que podem desencadear uma revolta generalizada entre um público já profundamente insatisfeito com a espiral dos custos de vida.

Quinta-feira, Netanyahu convidou também um grupo de líderes partidários, incluindo Shelly Yachimovich, do Partido Trabalhista, de centro-esquerda, para conversações sobre adesão ao novo governo. Embora tenha dito que não se uniria a uma coalizão liderada por Netanyahu, ela aceitou o convite, segundo o jornal.

As informações são da Dow Jones

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.