Netanyahu ordena boicote a discurso de Rouhani

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, instruiu os diplomatas do país a boicotarem o discurso do novo presidente do Irã, Hasan Rouhani, marcado para hoje na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Segundo Netanyahu, "Rouhani recusa-se a reconhecer o Holocausto".

AE, Agência Estado

24 de setembro de 2013 | 14h33

Por meio de nota, Netanyahu alegou que, apesar da "nova ofensiva sorridente" de Teerã, as posições da república islâmica seguem as mesmas.

No início de setembro, porém, o ministro das Relações Exteriores de Rouhani, Mohammad Javad Zarif, condenou explicitamente o Holocausto. "Nós condenamos o massacre de judeus pelos nazistas assim como condenamos o massacre de palestinos pelos sionistas", escreveu o chanceler iraniano em sua página no Facebook na ocasião.

Israel teme que o tom mais moderado do novo presidente em comparação com seu antecessor, Mahmoud Ahmadinejad, atenue a pressão internacional sobre o Irã por causa de seu programa nuclear.

A exemplo dos Estados Unidos, Israel acusa o Irã de buscar a bomba atômica. Teerã nega e assegura que suas usinas nucleares têm fins estritamente pacíficos, como a geração de energia elétrica e o desenvolvimento de isótopos medicinais. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.