Netanyahu pede retomada das negociações de paz

Em Washington, premiê se encontrou com presidente Barack Obama.

BBC Brasil, BBC

10 Novembro 2009 | 01h39

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, pediu a retomada das negociações de paz com os palestinos durante um encontro na Federação Judaica em Washington, nos Estados Unidos.

"Eu digo hoje ao [líder da Autoridade Palestina Mahomoud] Abbas, nos deixe aproveitar o momento para alcançarmos um acordo histórico. Vamos começar o diálogo imediatamente", afirmou.

Netanyahu afirmou ainda que seu objetivo é "um acordo de paz permanente entre israelenses e palestinos - e em breve".

"Nenhum governo israelense esteve tão disposto a recuar a atividade dos assentamentos como parte dos esforços para retomar as negociações de paz", disse.

Obama

Durante a visita a Washington, o premiê se encontrou ainda com o presidente dos EUA, Barack Obama.

O governo de Obama transformou as negociações de paz entre israelenses e palestinos como uma prioridade nas políticas para o Oriente Médio.

Apesar disso, os esforços enfrentaram dois obstáculos recentemente.

Os palestinos afirmam que o congelamento da construção de assentamentos na Cisjordânia é um pré-requisito para a retomada das negociações e contam com o apoio do governo americano nessa questão.

Na última semana, o principal negociador palestino, Saeb Erekat, disse que os palestinos poderão ter de abandonar o objetivo de um Estado independente caso Israel continue a expandir seus assentamentos no território.

O segundo obstáculo veio com o anúncio de que o moderado presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, não irá concorrer nas próximas eleições por causa dos impasses nas negociações de paz.

Fontes palestinas afirmam que a decisão de Abbas era motivada pela frustração dele com o governo americano, que não conseguiu pressionar Israel a congelar os assentamentos. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.