Netanyahu promete ampliar ofensiva na Faixa de Gaza após morte de  israelense

Civil atingido por foguete é primeira morte israelense desde início da ofensiva militar no território

O Estado de S. Paulo

15 Julho 2014 | 15h14

JERUSALÉM - O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, prometeu ampliar a operação israelense na Faixa de Gaza depois da primeira morte de um civil israelense desde o início da recente crise entre o governo e o Hamas, há oito dias. Morador da cidade de Erez, o israelense foi vítima de um foguete disparado do território palestino, segundo o Exército. 

“O Hamas não deixou outra alternativa que não uma resposta com mais força”, disse Netanyahu em pronunciamento. “O Hamas escolheu continuar a lutar e pagará o preço por essa decisão.”

Do lado palestino, 190 pessoas morreram e 1,4 mil ficaram feridas na operação Margem Protetora. A ofensiva começou depois de três adolescentes isarealenses terem sido sequestrados e mortos na Cisjordânia. O governo atribuiu o crime ao Hamas. Em represália, colonos judeus sequestraram e mataram um adolescente palestino. / AP e EFE

Mais conteúdo sobre:
IsraelFaixa de GazaHamas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.