Netanyahu sugere que campanha em Gaza pode ser 'operação continuada'

Em Tel-Aviv, o premiê afirmou que objetivo é restaurar 'calma e segurança' para cidadãos israelenses

O Estado de S. Paulo

20 de agosto de 2014 | 18h13

TEL-AVIV - O primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, disse nesta quarta-feira, 20, que a campanha militar de Israel na Faixa de Gaza poderá ser uma operação estendida e acusou os comandantes do Hamas de usar "selvageria" contra civis da mesma forma que os militantes do grupo radical Estado Islâmico no Iraque.

Em Tel-Aviv, o premiê israelense afirmou que a guerra em Gaza iniciada em 8 de julho "será uma campanha continuada" com o objetivo de restaurar "calma e segurança" para cidadãos israelenses.

Netanyahu acrescentou, porém, que via uma "novo horizonte diplomático" à frente para Israel na região, referindo-se a uma possível diplomacia com palestinos quando a guerra acabar. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.