AFP PHOTO / POOL / PETER NICHOLLS
AFP PHOTO / POOL / PETER NICHOLLS

Netayahu visita May e pressiona por mais sanções ao Irã

Primeiro-ministro israelense pede à premiê britânica que siga exemplo de Trump, que puniu Teerã por teste balístico

O Estado de S.Paulo

06 Fevereiro 2017 | 14h26

LONDRES - O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse nesta segunda-feira,6, em Londres que os países "responsáveis" devem seguir o exemplo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de impor novas sanções ao Irã por seu teste com um míssil balístico.

Ao começar hoje a reunião com a primeira-ministra britânica, Theresa May, na residência oficial de Downing Street, Netanyahu disse que o mundo enfrenta "desafios" em relação ao Irã e se mostrou confiante de que outros países seguirão Trump na hora de mostrar firmeza perante a República Islâmica.

"Enfrentamos desafios, isso é muito claro, do islã militante e especialmente do Irã. O Irã pretende aniquilar Israel, quer conquistar o Oriente Médio, e é uma ameaça à Europa, ao Ocidente e ao mundo", afirmou Netanyahu.

"E (o Irã) oferece provocação atrás de provocação. É por isso que louvamos a ajuda do presidente Trump de impor novas sanções contra o Irã. Acredito que outras nações deveriam segui-lo, certamente as nações responsáveis poderíamos assegurar que a agressão do Irã não fique sem resposta."

Uma porta-voz de Theresa May admitiu, por sua vez, que o governo britânico compartilha a preocupação com o recente teste iraniano com um míssil balístico, mas também defendeu o acordo nuclear alcançado com Teerã em 2015 por considerar que o mesmo "neutralizou" a possibilidade de os iranianos obterem armas nucleares.

Ao mesmo tempo, a porta-voz de May ressaltou que a reunião de hoje estará focada em fomentar a relação bilateral de modo que seja benéfico para ambos os países. / EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.