Emiliano Lasalvia / AFP
Emiliano Lasalvia / AFP

'Neto 130' identificado por Avós da Praça de Maio tem irmão desaparecido

Associação argentina estima que cerca de 500 bebês foram roubados pela ditadura militar no país

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2019 | 16h07

BUENOS AIRES - O argentino Javier Matías Darroux, de 41 anos, reconhecido como o "neto 130" roubado durante a ditadura na Argentina (1976-1983) e teve a verdadeira identidade recuperada pela organização Avós da Praça de Maio, foi apresentado nesta quinta-feira, 13, em um ato realizado em Buenos Aires.

"Quero agradecer a todos que contribuíram para a restituição da minha identidade. Em primeiro lugar, meu tio Roberto, que está aqui do meu lado e que durante 40 anos nunca abaixou os braços e nem perdeu a esperança de nos encontrar com vida", declarou Darroux em um emotivo e grande ato na sede das Avós de Maio na capital argentina.

Darroux foi a 130ª pessoa que, graças a um complexo processo de investigação e estudos genéticos, foi identificada pela organização de idosas, que desde 1977 procuram por seus netos, filhos de militantes políticos desaparecidos durante o regime e que foram roubados e entregues a famílias alheias.

Javier Matías é filho de Elena Mijalchuk e de Juan Manuel Darroux, ambos desaparecidos em 1977 e cujo paradeiro é desconhecido.

Estela de Carlotto, presidente da associação, disse que agora o novo neto recuperado pode encontrar sua família e saber sua origem biológica, mas advertiu que a partir de agora iniciará outra busca: por seu irmão ou irmã, já que no momento do desaparecimento Elena estava grávida de dois meses.

A associação presidida por Carlotto estima que cerca de 500 bebês foram roubados pela ditadura e, junto com os outros organismos de direitos humanos, calcula que o terrorismo de Estado causou o desaparecimento de aproximadamente 30 mil pessoas, muitas lançadas com vida ao mar após serem torturadas e drogadas. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.