Neto de Mussolini pede exumação do corpo do "Duce"

O neto do ditador fascista italiano Benito Mussolini pediu que os restos mortais do ex-líder sejam exumados para descobrir as verdadeiras circunstâncias de sua morte.Luciano Randazzo, o advogado que representa Guido Mussolini, entrou com o pedido de um exame post-mortem em um tribunal em Como, no norte da Itália.Benito Mussolini e sua amante, Clara Petacci, foram capturados em 26 de abril de 1945 perto de Como e mortos a tiros dois dias depois.Há dúvidas sobre a identidade do homem que executou o "Duce" italiano.Acredita-se que Walter Audisio, também conhecido como Coronel Valerio, tenha matado Mussolini depois de receber ordens para a execução.Muitas versõesSegundo Randazzo, no entanto, pesquisas revelaram que, até dois anos após a morte do ditador, Audisio não era mencionado como o responsável.Guido Mussolini (que é filho do segundo filho do "Duce", Vittorio) quer o exame post-mortem para "estabelecer judicialmente, e assim definitivamente, a verdadeira causa da morte", afirmou Randazzo."Há 19 versões diferentes na história, mas a verdade nunca foi estabelecida pela lei", disse.No entanto, a neta do ditador, Alessandra Mussolini, uma política de direita, afirmou que é contra a exumação."Meu avô... deve ser deixado em paz", disse ela, afirmando que um pedido como esse deveria vir de forma unânime dos herdeiros do ditador.Benito Mussolini foi capturado depois da queda de seu regime.Depois de sua execução, os corpos de Mussolini, Clara Petacci e outros de seus colaboradores mais próximos foram levados para Milão e exibidos na Praça Loreto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.