Gendarmería/Reuters
Gendarmería/Reuters

Nevasca deixa pessoas isoladas na Patagônia argentina

Habitantes afirmam que região sofre o inverno mais severo em quatro décadas

Agência Estado e Associated Press

27 de julho de 2010 | 14h44

BUENOS AIRES - Centenas de pessoas estão isoladas numa região de cordilheira na província de Chubut, na Patagônia argentina, por causa de nevascas intensas que caíram nas últimas semanas e que também afetaram o gado ovino e bovino. A Defesa Civil informou que as localidades mais afetadas na província foram as de Lago Blanco, Aldea Beleiro e Ricardo Rojas, mais próximas à fronteira com o Chile. Os habitantes afirmam que é o inverno mais severo em quatro décadas.

 

"Ficou muito difícil abrir todas as estradas até os estabelecimento rurais. Estamos trabalhando muito com as máquinas para retirar a neve", disse o diretor da Defesa Civil da região sul do Rio Senguer, Miguel Mongilardi.

 

O governador de Chubut, Mario das Neves, afirmou que até agora não foi preciso "lamentar nenhuma vítima humana". O rigoroso inverno austral afetou neste ano grande parte do território argentino. Até no norte do país, onde o clima é mais ameno, foram registradas temperaturas muito baixas e neve.

Tudo o que sabemos sobre:
ArgentinaPatagônianevascasisolados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.