Nevasca paralisa parte do sistema aéreo europeu

Aeroporto de Berlim é fechado em razão de neve na pista; no maior aeroporto de Paris, 25% dos voos são suspensos

BERLIM, O Estado de S.Paulo

13 de março de 2013 | 10h16

Uma forte nevasca paralisou ontem parte do sistema aéreo na Europa e causou transtornos em várias rotas internacionais. Trens e estradas também foram prejudicados.

O aeroporto de Frankfurt - o terceiro mais movimentado da Europa - foi fechado depois que a camada de neve sobre a pista atingiu mais de 12 centímetros. Voos conseguiram decolar brevemente, mas, em seguida, o aeroporto voltou a ser fechado. Ao menos 25% dos aviões que partiriam de Paris também foram obrigados a permanecer no solo.

Trens de alta velocidade ficaram parados nas estações na Bélgica. A nevasca pegou de surpresa os europeus: a primavera começa em, exatamente, uma semana.

No norte de Frankfurt, a rodovia A45 foi fechada após mais de cem carros e caminhões terem se acidentado em razão do acúmulo de neve perto da cidade de Muenzenberg. A polícia disse que dezenas de pessoas ficaram feridas, mas nenhuma morte foi registrada.

No aeroporto de Orly, em Paris, um jato da Tunis Air derrapou na pista coberta de gelo, segundo informou o centro de controle aéreo francês. Ninguém ficou ferido, mas o incidente causou ainda mais atrasos. A Air France - a maior empresa aérea de passageiros do país - advertiu em sua conta no Twitter que as pessoas que planejam viajar para a Europa ou França via Paris deveriam atrasar sua viagem.

Ao todo, 25% dos voos que partiriam do Aeroporto Charles de Gaulle e 20% dos que sairiam de Orly foram cancelados, segundo autoridades francesas. A operadora da rede de trens franceses, a SNCF, pediu aos habitantes da região de Paris que permanecessem em casa ontem, em vez de tentarem chegar ao centro da cidade, "em razão da evolução desfavorável das condições climáticas". A empresa Eurostar deixou de operar a linha Paris-Londres. / AE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.