Nevasca repentina prejudica transporte na Europa

O aeroporto de Frankfurt está fechado, um quarto dos voos que partiriam de Paris foram cancelados, a Bélgica registrou recorde de congestionamento e os trens de alta velocidade ficaram parados nas estações, tudo isso por causa de uma repentina e estranha nevasca na Europa ocidental. Menos preparadas para o tipo de neve que geralmente atinge as regiões norte e leste do continente, França, Reino Unido e Bélgica lutavam nesta terça-feira para manter a rotina.

AE, Agência Estado

12 de março de 2013 | 17h28

Ao invés de aproveitaram o primavera, viajantes tremiam em carros encalhados, estacionados em plataformas congeladas de trens, ou à espera em aeroportos. Milhares de crianças permaneceram em casa e centenas de residências ficaram sem eletricidade.

O aeroporto de Frankfurt, o terceiro mais movimentado da Europa, foi fechado ao meio-dia (horário local) após ter registrado o recorde de 12 centímetros de neve em suas pistas. Mais de 355 voos já haviam sido cancelados e vários outros estavam atrasados. O aeroporto reabriu uma de suas quatro pistas apenas para decolagem e após uma breve interrupção na queda de neve, que logo depois voltou a cair. Ainda não se sabe por quanto tempo as outras três pistas permanecerão fechadas.

No norte de Frankfurt, a rodovia A45 foi fechada após mais de 100 carros e caminhões terem se acidentado por causa do acúmulo de neve próximo a Muenzenberg. A polícia disse que dezenas de pessoas ficaram feridas, mas nenhuma morte foi confirmada.

No aeroporto de Orly, em Paris, um jato da Tunisair derrapou na pista por causa do gelo, segundo informou a autoridade local. Ninguém ficou ferido, mas o incidente causou ainda mais atrasos no aeroporto que já registrou cancelamentos e problemas durante todo o dia.

Air France - a maior empresa aérea de passageiros do país - advertiu via twitter que as pessoas que planejam viajar para a Europa ou França via Paris nesta terça-feira deveriam atrasar sua viagem.

As telas do Aeroporto de Paris mostravam avisos, depois de a autoridade de aviação civil francesa ter ordenado que 25% dos voos que partiriam do Charles de Gaulle fossem cancelados, mesma medida adotada para 20% dos voos com partida do aeroporto de Orly. Outros aeroportos no norte da França também foram fechados, e o aeroporto de Bruxelas operava apenas com uma pista.

A operadora da rede de trens franceses SNCF pediu aos habitantes da região de Paris que permanecessem em casa nesta terça-feira, em vez de tentarem chegar ao centro da cidade, "por causa da evolução desfavorável das condições climáticas".

A empresa Eurostar suspendeu os serviços de trem sob o Canal da Mancha entre Londres e Paris nesta terça-feira por causa da nevasca e a Bélgica forçou seus operadores a fecharem parte das estradas, afirmou a porta-voz do Eurostar, Lucy Drake. Como a neve continuou a cair durante a tarde, o serviço foi suspendido pelo restante do dia, confirmou a Eurostar em seu website mais tarde. "Em razão das condições climáticas extremamente difíceis, os trens da Eurostar foram suspensos até nova ordem", disse a companhia em comunicado

O exército francês foi chamado para ajudar as autoridades civis nos esforços para limpar as rodovias e resgatar pessoas presas em carros e ônibus em estradas atoladas de neve, principalmente na Normandia, informou o primeiro-ministro Jean-Marc Ayrault pela rádio RTL.

Com mais de 50 centímetros de neve em algumas áreas no norte da França, o governo pediu à população que permanecesse em casa a menos que fosse absolutamente necessário sair.

Ao invés de apreciar o início da primavera, a Bélgica registrou uma recorde de 1.600 quilômetros de congestionamentos durante o tráfego matutino. As vias ficaram escorregadias por causa da neve e a visibilidade foi reduzida. Os fortes ventos deixaram a situação ainda pior. Milhares de pessoas ficaram paradas nas plataformas depois que vários trens que partiriam da Bélgica foram cancelados, dentre eles as linhas de alta velocidade que vão para França, Alemanha e Holanda.

A neve afetou inclusive o dia de trabalho do governo e o palácio. O começo das negociações sobre o Orçamento com o governo de coalizão da Bélgica foi adiado, e o príncipe Lorenz não pode viajar a Maastricht, na Holanda, para visitar uma exposição histórica.

No sudeste da Inglaterra, a neve e o gelo deixaram centenas de motoristas parados e as temperaturas caíram para até -3ºC, fazendo com que muitos abandonassem seus carros. O trânsito se estendeu por 50 quilômetros em alguns pontos e há relatos de pessoas que estavam presas havia 10 horas ou mais. Entre os impedidos de prosseguir estava um grupo de 120 estudantes que tiveram de passar a noite na cidade de Hastings ao sul da costa da Inglaterra onde as família devem buscá-los se o sistema de três não voltar a funcionar em breve.

A polícia de Sussex relatou ter recebido mais de 300 chamadas por colisões entre carros nas últimas 24 horas em razão das vias escorregadias, mas não há registros de pessoas seriamente feridas. Várias escolas do sudeste da Inglaterra permaneceram fechadas por causa do clima.

Estradas no norte da França foram bloqueadas pela neve ou foram fechadas pelas autoridades e os caminhões foram proibidos de circular em várias vias. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Europanevasca

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.