Neve cancela 2 mil voos nos EUA e afeta rotas com o Brasil

Trens e estradas na Costa Leste americana também foram atingidos; prefeito de Nova York recomenda que moradores fiquem em casa.

BBC Brasil, BBC

27 de dezembro de 2010 | 18h39

Neve atingiu até 51 centímetros de altura na região de Nova York

Fortes nevascas na Costa Leste dos Estados Unidos nesta segunda-feira, 27, causaram o cancelamento de mais de 2 mil voos no país, afetando inclusive as rotas que chegam ou partem do Brasil. As companhias aéreas TAM, Continental, Delta e American Airlines tiveram de cancelar ou redirecionar os voos entre São Paulo e Nova York no domingo e manhã desta segunda-feira.

No fim da tarde, com a reabertura do aeroporto JFK, as empresas TAM, American e Continental confirmaram seus voos que partem do Aeroporto de Guarulhos na noite desta sexta-feira. As rotas da companhia United, para Washington e Chicago, não foram alteradas.

Os principais aeroportos da região de Nova York - JFK, LAGuardia e Newark Liberty - fecharam, deixando milhares de passageiros presos durante o movimentado período entre o Natal e o Ano Novo.

A região foi uma das mais afetadas pelo mau tempo, tendo recebido 51 centímetros de neve. Voos também foram cancelados em outros aeroportos do Nordeste do país, assim como em Washington, Baltimore e Chicago.

Em muitos aeroportos no nordeste do país, passageiros acampavam nos saguões. Em comunicado, as companhias aéreas afirmaram que o serviço só deve ser normalizado na terça-feira. Os Estados de Massachusetts, Maine, Maryland, Nova Jersey, Carolina do Norte e Virgínia declararam estado de emergência.

 

Aeroporto JFK ficou fechado devido à nevasca

Serviços suspensos. As nevascas também provocaram caos no transporte ferroviário e nas estradas dos EUA. Por causa da neve, a operadora de ferrovias Amtrak suspendeu os serviços entre Nova York e Boston, Nova York e Maine e as operações no Estado da Virgínia.

Segundo a National Public Radio, autoridades tiveram de resgatar centenas de motoristas que ficaram presos por causa da neve acumulada nas estradas, incluindo ônibus de turistas. Muitos motoristas abandonaram seus carros em diversas estradas ao redor de Nova York.

No Maine, a tempestade foi apontada como a causa de um acidente de carro em que um homem de 59 anos morreu. Policiais levavam água e comida a passageiros diabéticos presos nas estradas.

Um motorista de táxi da Filadélfia, Farid Senoussaoui, disse que é preciso cuidado redobrado para dirigir nas vias escorregadias: "isso aqui está parecendo um videogame".

Natal branco. Enquanto isso, autoridades no Canadá se preparam para enfrentar a tempestade, que deve atingir o leste do país ainda nesta segunda-feira. O serviço meteorológico americano diz que a nevasca é resultado de um sistema de baixa pressão, que se formou na costa da Carolina do Norte e atualmente se encontra perto de Cape Cod, em Massachusetts.

No Sul, Geórgia e Carolina do Sul tiveram neve durante o Natal pela primeira vez em mais de cem anos, enquanto a capital Washington DC aparentemente escapou da nevasca mais forte. O mau tempo fez com que a eletricidade fosse cortada em milhares de casas em Rhode Island e Massachussetts. Em Nova York, 2,4 mil funcionários trabalhavam em turnos de 12 horas para limpar a neve nas vias da cidade.

O prefeito Michael Bloomberg aconselhou os moradores a ficar em casa: "Compreendo que muitas famílias precisem voltar após o fim de semana, mas, por favor, não peguem as estradas a não ser que seja absolutamente necessário."   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.