Neve cobre acampamento de refugiados no Paquistão

Os sobreviventes do terremoto de outubro no Paquistão enfrentam agora o inverno rigoroso da região. Mais de um metro de neve cobre o solo em vários dos acampamentos onde vivem milhares de refugiados. Segundo fontes oficiais, grande parte das áreas montanhosas acima dos 1.500 metros de altitude, afetadas pelo terremoto, está coberta por 90 centímetros de neve, enquanto as regiões acima dos 2 mil metros têm uma camada de 1,2 metro de neve.Mas a onda de frio nas regiões afetadas pelo tremor de terra - as províncias da Caxemira e da Fronteira do Noroeste -, está diminuindo gradualmente, nas áreas abaixo dos 1.500 metros. A chuva e a neve interromperam os trabalhos de reconstrução e resgate, e tornam cada vez mais difícil a vida nos acampamentos de refugiados.À noite são registradas temperaturas abaixo de zero e, durante o dia, os termômetros também não se afastam muito da faixa de temperaturas negativas em grande parte das áreas devastadas pelo terremoto. As vítimas dizem que as condições meteorológicas tornam a vida insuportável nas tendas de campanha.Várias estradas da região estão bloqueadas devido à neve e aos deslizamentos de terra. No entanto, fontes militares informam que isto não afetará o abastecimento dos campos de refugiados, pois antes da chegada do inverno foram enviados alimentos e medicamentos às áreas mais remotas. O terremoto do último dia 8 de outubro, de 7,6 graus de intensidade na escala Richter, deixou cerca de 86 mil mortos no país e 100 mil feridos, afetando 3,5 milhões de paquistaneses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.