New Orleans apresenta plano de evacuação para temporada de furacões

Amplamente criticado por falhar em retirar os cidadãos mais vulneráveis durante o furacão Katrina, no ano passado, o prefeito de New Orleans, Ray Nagin, apresentou nesta terça-feira um plano de evacuação para a temporada de tempestades deste ano. Diferentemente do que ocorreu em 2005, quando o estádio Superdome e o Centro de Convenções Morial foram usados como abrigos, a estratégia para 2006 tem como base a utilização de trens e ônibus para levar os moradores para fora da cidade."Não teremos abrigos", disse Nagin aos repórteres. Segundo o prefeito, o centro de convenções, que após o furacão de 29 de agosto transformou-se em um cenário de miséria, funcionará como um ponto de encontro para a retirada das vítimas das tempestade, e não como abrigo.Nagin acrescentou que a infra-estrutura de comunicações da cidade está sendo preparada para vários cenários em que esses sistemas possam vir a falhar. O prefeito disse ainda que os evacuados também poderão salvar seus bichos de estimação caso contem com gaiolas em que os animais possam ser transportados com segurança.O diretor de segurança interna de New Orleans, Terry Ebbert, informou que o plano incluí ainda arranjos para retirar rapidamente turistas, idosos e deficientes da cidade.A temporada de furacões começa no dia 1º de junho e vai até novembro, mas o pico das tempestades costuma acontecer entre agosto e setembro.O plano foi desenvolvido levando em conta uma cidade que teve a população diminuída à menos da metade de seu tamanho original. Antes do Katrina, New Orleans contava com cerca de 455 mil habitantes.A área metropolitana da cidade teve sua mais bem sucedida evacuação durante o furacão Katrina, com cerca de um milhão de pessoas dirigindo para fora da cidade através das rodovias estaduais. Isso, no entanto, não impediu que a população pobre da região sofresse as conseqüências do desastre natural. Isso porque muitos não tinham carros para deixar suas casas ou porque não poderiam pagar um lugar para ficar em outros municípios. A maioria dessas pessoas terminou presa nos abrigos improvisados do Superdome e do Centro de Convenções.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.