News Corp pagará indenização a família de adolescente assassinada em 2002

Família de Milly dowler receberá 2 milhões de libras; celular da britânica foi invadido por tabloide

Agência Estado

19 Setembro 2011 | 16h04

LONDRES - A unidade de jornais britânicos da News Corp. concordou em pagar cerca de 3 milhões de libras (US$ 3,2 milhões), para encerrar o caso envolvendo acusações de que o extinto tabloide News of the World invadiu a caixa postal de uma adolescente assassinada em 2002. A informação foi divulgada por uma pessoa próxima ao assunto.

 

A unidade do conglomerado News International, de propriedade do magnata australiano Rupert Murdoch, concordou em pagar cerca de 2 milhões de libras à família de Milly Dowler e cerca de 1 milhão de libras (US $1,6 milhão) a uma entidade de caridade, disse a fonte. Ao contrário de dezenas de outras supostas vítimas de grampos telefônicos, a família Dowler não abriu um processo contra a empresa.

 

O pagamento é referente às denúncias de que em 2002 o News of the World invadiu o correio de voz do telefone celular de Milly Dowler, adolescente desaparecida de 13 anos, que havia sido assassinada.

 

A revelação, neste ano, que seu correio de voz havia sido invadido provocou irritação pública e intensificou o escândalo que levou ao fechamento, em julho, do tabloide de 168 anos e a renúncia de dois altos executivos da News Corp., além de impedir uma aquisição multibilionária que a empresa pretendia fazer no setor de televisão por assinatura. O porta-voz da News International recusou-se a comentar o assunto.

 

O tabloide foi acusado de invadir a caixa de mensagens de Dowler e apagar várias mensagens, o que deu a seus pais a falsa esperança de que elas estivesse viva e prejudicou as investigações policiais.

 

A News International já pagou indenizações a outras vítimas de grampos telefônicos, dentre elas a atriz Sienna Miller, que recebeu 100 mil libras (US$ 160 mil).

 

Em julho, Murdoch, presidente e CEO da News Corp., encontrou-se e pediu desculpas à família Dowler. Ele também disse que o escândalo dos grampos telefônicos resultou na "perda de reputação" da companhia. A News Corp. também é proprietária da Dow Jones e do Wall Street Journal. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.