Matt Rourke/AP
Matt Rourke/AP

Newt Gingrich é favorito em 3ª prévia do partido republicano nos EUA

Ex-presidente da Câmara dos Deputados aparece como líder nas pesquisas para novo caucus

Denise Chrispim Marin, correspondente

20 de janeiro de 2012 | 22h00

WASHINGTON - A prévia republicana deste sábado, 21, na Carolina do Sul será marcada pelo desafio do conservador Newt Gingrich ao moderado Mitt Romney, favorito do establishment do partido. Essa terceira etapa das primárias foi chacoalhada nesta semana pela saída de dois concorrentes e por acusações graves contra os principais rivais.

 

Veja também:

blog PARA ENTENDER: Os Super-Pacs

tabela ESPECIAL: Eleições nos EUA 2012

 

Gingrich, pela primeira vez, surgiu sexta nas pesquisas de opinião da Carolina do Sul como potencial vencedor da disputa, com até seis pontos porcentuais à frente de Romney. A média das quatro últimas consultas, calculada pela organização Real Clear Politics, mostrou Gingrich com 32,5% das intenções de voto, contra 31,5% de Romney. Os outros dois concorrentes, o deputado federal Ron Paul e o ex-senador Rick Santorum, estão com 14% e 11,8%, respectivamente.

 

Segundo Thomas Mann, analista do Brookings Institution, a primária da Carolina do Sul não será decisiva. A vitória de Romney poderia encurtar o processo de escolha do Partido Republicano.

 

Nesta semana, o ex-governador de Utah Joe Huntsman abandonou a disputa republicana e anunciou apoio a Romney, ex-governador de Massachusetts. O governador do Texas, Rick Perry, também desistiu, mas apoiou Gingrich, ex-presidente da Câmara dos Deputados.

 

Romney vai para a eleição deste sábado sob pressão para mostrar sua declaração de imposto de renda. Ele tem patrimônio de US$ 250 milhões e admitiu pagar uma alíquota de 15%, menor do que a da média dos americanos. No debate da CNN, anteontem, Gingrich foi constrangido pela revelação de sua segunda ex-mulher, Marianne, de ter proposto a ela um "casamento aberto" antes de se divorciarem. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.