Nicarágua e Irã assinam acordos de cooperação

O Irã e seu novo aliado latino-americano, a Nicarágua, assinaram nesta segunda-feira um acordo de cooperação em diferentes setores, incluindo a exploração de um tratado de livre-comércio, embora não tenham concretizado o perdão de uma dívida de US$ 152 milhões ao país centro-americano.O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, e o do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, assinaram um memorando de entendimento que estabelece importantes áreas de cooperação por parte do Governo iraniano e intenções de encurtar as relações diplomáticas e econômicas entre os dois países.Ortega, que há quatro dias assumiu a Presidência da Nicarágua, enumerou a lista de acordos assinados com Ahmadinejad, no Centro de Convenções Olof Palme, que funciona como a Casa de Governo neste país.Ahmadinejad chegou domingo à noite a Manágua procedente de Caracas e na segunda continuou sua rápida viagem latino-americana em Quito, onde assistirá à posse do presidente eleito equatoriano, Rafael Correa.Ortega disse que a assinatura dos acordos tem o propósito de fortalecer os laços de amizade e cooperação entre ambos os Estados, assim como o bem-estar social.O convênio inclui diversas obras, entre elas a construção de represas hidroelétricas e sistemas de irrigação, de água potável, o estudo de desenvolvimento portuário, a cooperação pesqueira, o desenvolvimento do setor energético, a edificação de casas populares, a fabricação de automotores, a educação e o comércio.Sobre o perdão da dívida de US$ 152 milhões pedido pela Nicarágua ao Irã, o Governo de Teerã expressou que "consideraria" essa solicitação e a discutiria em seu Parlamento."Estamos expressando nossa vontade de trabalhar a fim de buscar justiça, ou seja, erradicar a pobreza, as profundas desigualdades, a fome, o analfabetismo e conseguir contar com investimentos de longo prazo que beneficiem o povo nicaragüense", comentou Ortega.O líder sandinista considerou que esse acordo com o Irã é um esforço "que põe a toda prova a disposição dos povos que estão decididos a construir um mundo novo".Por sua parte, Ahmadinejad reiterou que apoiará "com todas as suas forças" e "até o fim" a Nicarágua para que atinja o progresso."Nós, os iranianos, apesar da distância geográfica que nos separa (com a Nicarágua), temos os corações muito perto e juntos", manifestou.Acrescentou que o Irã está decidido a "reconstruir" e a "desenvolver" a Nicarágua, que é o segundo país mais pobre da América Latina, depois do Haiti.Ahmadinejad afirmou também o Irã apoiará "sem parar" os movimentos de independência "em qualquer parte do mundo", em alusão às acusações dos Estados Unidos de que Teerã promove a violência no Iraque."O que o mundo necessita hoje é de bons governantes e administradores, que ensinem amor e carinho aos povos, às diferentes classes sociais de todo o mundo", acrescentou."Nós hoje não estamos sós: Irã, Nicarágua, Venezuela e outros países revolucionários estão juntos e vão resistir juntos", assinalou o presidente iraniano em discurso ao lado de Ortega.Antes da assinatura dos acordos, Ahmadinejad visitou um bairro de Manágua e um centro islâmico, além de reunir-se com Ortega na sede do partido sandinista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.