Nicarágua não reconhecerá governo hondurenho

O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, anunciou que não reconhecerá o novo governo de Honduras, do presidente Porfírio Lobo, porque ele seria, na visão de Manágua, uma continuação do golpe de Estado de 28 de junho de 2009.

AE, Agencia Estado

31 de janeiro de 2010 | 19h52

"Nós nos sentimos ameaçados e por isso não podemos reconhecer o governo de Honduras", disse Ortega na noite de ontem, após receber as credenciais os embaixadores de alguns países, informou o website "El 19" da Secretaria de Comunicação e Cidadania da presidência da República.

Não obstante, Ortega assinalou que as relações econômicas e comerciais com Honduras continuarão porque "não podemos ignorar essa realidade".

Ortega lembrou que a Organização dos Estados Americanos (OEA) resolveu que não "reconheceria nenhum governo que fosse continuidade do golpe", e "desgraçadamente" o atual governo hondurenho "provém de um golpe".

Segundo ele, a Nicarágua se sente ameaçada porque "os golpistas se imaginam com toda a liberdade e com todo o respaldo para propiciar e promover novos golpes em Honduras e em toda a América Central".

"O próprio presidente Lobo não pode garantir que a qualquer momento executem um golpe militar contra ele, mesmo porque ele está montado num golpe militar e sobre as baionetas. Se ele quiser fazer um movimento contrário, será furado imediatamente pelas baionetas", afirmou Ortega.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurascriseNicarágua

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.