Nicarágua recebe navios russos, burlando a própria Constituição

A esquadra da Frota do Mar do Norte russa foi recebida pelo embaixador de Moscou em Manágua e pelo chefe da Força Naval nicaragüense. O presidente Daniel Ortega deve visitá-la neste sábado

EFE

13 de dezembro de 2008 | 01h57

Três navios de guerra russos chegaram nesta sexta-feira à Nicarágua apesar da denúncia da oposição parlamentar nicaragüense que solicitou a Moscou mantê-los em águas internacionais até que o Congresso ratifique sua permissão para entrar ao país, como manda sua Constituição. A esquadra da Frota do Mar do Norte russa integrada pela fragata caça-submarinos "Almirante Chabanenko" e dois navios de apoio chegou à costa sul do Caribe da Nicarágua, onde foi recebida pelo embaixador de Moscou em Manágua, Igor Kondrashev, e pelo chefe da Força Naval nicaragüense, Juan Santiago Estrada - o presidente Daniel Ortega deve visitá-la neste sábado. O destróier "Chabanenko" e os navios de apoio "Ivan Bubnov" e "SB-406", com uma tripulação total de 650 homens, chegaram esta tarde à Nicarágua, procedentes do Panamá, onde se reabasteceram após participar, no início de dezembro, de manobras conjuntas com a Marinha venezuelana. As três naves atracaram nove milhas ao leste do porto El Bluff, na Região Autônoma do Atlântico Sul, onde permanecerão até segunda-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.