Níger ordena a expulsão de árabes de seu território

Autoridades no Níger ordenaram a expulsão de 150 mil refugiados árabes do Chad que por décadas moravam nesta nação ao oeste da África, informou o ministro do interior. A decisão drástica foi tomada porque muitos dos refugiados são pastores cujos camelos estão destruindo o frágil ecossistema árido do Níger - particularmente recursos hídricos com poucas reservas, disse o ministro Mounkaila Modi à Associated Press (AP.Modi também alegou que muitos nômades estavam armados e ameaçavam habitantes locais diariamente, embora não tenha dito por quê. O ministro disse que a ordem seria válida para 150 mil árabes no Níger vindos de países da região, como Argélia, Líbia e Chade.Muitos dos árabes são nômades, conhecidos como ´mohamides´, que fugiram de conflitos passados no Chade. A British Broadcasting Corp. (BBC) disse que muitos são cidadãos do Níger e têm altas posições no exército e no governo. "Decidimos, começando hoje [terça-feira], explusar estes árabes nômades denominados ´mohamides´ para os países que vieram", disse Modi à AP. "Estes estrangeiros não mostraram respeito aos direitos dos nativos e estão acabando com o que nos resta dos pastos - não podemos mais aceitar ver nosso ecossistema ser degradado por estrangeiros". O Níger tem uma população de 12 milhões de pessoas e fica na extremidade sul do deserto do Saara. A árida nação tem presenciado uma sucessão de golpes e eleições desde sua independência da França em 1960 e é regularmente colocada como um dos cinco países mais pobres do mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.