Níger promete cumprir lei com fugitivos líbios

O governo do Níger prometeu nesta sexta-feira respeitar o compromisso internacional se autoridades líbias procuradas entrarem em seu território. "Se líbios procurados estiverem em solo nigerino, vamos seguir os procedimentos existentes quando os pedidos legais forem feitos" pelos tribunais internacionais, informou o ministro da Justiça Marou Amadou.

AE, Agência Estado

09 Setembro 2011 | 16h02

"Não estamos falando sobre (Muamar) Kadafi, mas sobre os que já estão no Níger", disse ele, afirmando que "nós não sabemos" o paradeiro do coronel líbio.

A Interpol já emitiu alertas pedindo a prisão de Kadafi, de seu filho Seif al-Islam e de seu chefe de segurança Abdullah al-Senussi, para quem o Tribunal Penal Internacional emitiu mandados de prisão por crimes contra a humanidade.

O governo nigerino confirmou anteriormente que permitiu a entrada no país de doze auxiliares de Kadafi, dentre eles o chefe de segurança interna Mansour Daw, por "questões humanitárias". Eles são mantidos sob prisão domiciliar na capital do país, Niamey. Mas o Níger nega os persistentes rumores de que o líder líbio deposto esteja em solo nigerino.

Rebeldes

O embaixador da Líbia no Níger disse que o governo rebelde quer que o país pare de dar refúgio a ex-autoridades do regime de Kadafi.

O embaixador Souleymane Ahmed Mohamed Moussa disse à Associated Press nesta sexta-feira que o Conselho Nacional de Transição vai enviar uma delegação para o Níger na próxima semana para pedir ao país que não conceda "asilo político" aos líbios.

Ele declarou que alguns homens leais a Kadafi fugiram para o Níger pela longa e deserta fronteira entre os dois países e que suas armas precisam ser recuperadas. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Níger Líbia fugitivos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.