Níger quer ser eximido de culpa sobre acordo com Iraque

O presidente do Níger, Mamadou Tandja, exigiu que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), exima o país das acusações de teria feito acordos com o regime de Saddam Hussein para vender urânio ao Iraque. A acusação foi reiterada pelo presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, durante seu discurso anual sobre o Estado da Nação, em janeiro. Posteriormente, a Casa Branca admitiu que a afirmação havia sido baseada em documentos falsos.?A AIEA deve, publicamente, livrar o Níger de todas as suspeitas diante do Conselho de Segurança da ONU?, disse Tandja em um pronunciamento ao país em rede de TV, sobre o 43º aniversário da independência do Níger da França. ?Sem isso, nosso país continuará sendo prejudicado por uma situação na qual não estava envolvido?, disse o presidente. Em Viena, a porta-voz da AIEA, Melissa Fleming, disse que a solicitação do Níger não é usual. Ela pediu que o país faça a solicitação por escrito ?para que se possa ver o que é possível fazer?. Melissa lembrou que um comunicado feito em 7 de março pelo Conselho de Segurança da ONU dizia que as acusações contra o Níger eram infundadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.