Nigéria adia decisão sobre pena de apedrejamento

Um tribunal islâmico do norte da Nigéria adiou para 27 de agosto o julgamento da apelação de Amina Lawal, condenada à morte por lapidação (apedrejamento) por manter relações sexuais fora do casamento. A corte alegou falta de quórum. Amina, de 31 anos e mãe solteira, foi condenada em março de 2002, logo após ter dado à luz, a ser enterrada até o pescoço na areia e depois apedrejada até a morte, numa interpretação estrita da lei islâmica (sharia). O caso atraiu a atenção mundial e provocou manifestações de protesto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.