AFP
AFP

Nigéria concederá anistia a presos do Boko Haram se jovens de Chibok forem libertadas

Adolescentes foram sequestradas em abril do ano passado; muitas são vendidas como escravas aos militantes ou usadas como ‘bombas humanas’ em atentados

O Estado de S. Paulo

16 Setembro 2015 | 12h49

PARIS - A Nigéria disse nesta quarta-feira, 16, estar disposta a conceder anistia aos militantes do Boko Haram que estão presos no país em troca da libertação de 200 estudantes que foram sequestradas em Chibok no ano passado.

“Se os soldados do Boko Haram aceitarem nos devolver as meninas de Chibok, todas elas, poderemos decidir se concedemos anistia” aos seus prisioneiros, disse o presidente da Nigéria, Muhamadu Buhari.

“Estamos vendo se podemos negociar com eles a libertação das jovens. Mas somos muito prudentes: não vamos liberar ninguém se não nos sentirmos seguros de que elas estão bem de saúde”, afirmou o líder.

Os militantes do Boko Haram invadiram Chibok, berço do movimento, no dia 14 de abril de 2014, onde haviam 276 adolescentes. Dentre elas, 219 foram sequestradas pelo grupo e 57 conseguiram escapar.

Um mês depois do sequestro, um vídeo mostrava dezenas de jovens vestidas de preto e recitando partes do Alcorão. Com as imagens, o líder do Boko Haram, Abubakar Shekau, anunciava que as jovens haviam sido convertidas ao islã e “casadas” com soldados.

Segundo organizações de direitos humanos, as jovens são submetidas às vontades do grupo e, muitas vezes, vendidas como escravas aos militantes ou usadas como “bombas humanas” em atentados. /AFP

Mais conteúdo sobre:
Boko Haram Nigéria Chibok

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.