Nigéria confirma 70 mortos após ofensiva contra grupo islâmico

O exército da Nigéria confirmou nesta terça-feira que matou pelo menos 50 rebeldes islâmicos que tentavam fugir em direção ao Camarões, em uma batalha que também teve 15 baixas entre soldados nigerianos e civis.

Reuters

24 de dezembro de 2013 | 12h48

As forças nacionais partiram para uma ofensiva na volátil região nordeste do país nos últimos dias, isso depois que militantes do grupo radical islâmico Boko Haram armados com granadas e armas anti-aéreas atacaram quartéis militares na cidade de Bama na última sexta-feira.

O governo costuma reportar as baixas entre os grupos insurgentes, mas raramente diivulga as mortes de civis ou de soldados do exército nigeriano, razão pela qual o comunicado desta terça-feira sobre a batalha próxima ao Camarões permanece um mistério.

O porta-voz do Ministério da Defesa, o brigadeiro-general Chris Olukolade, disse que o exército visava a atacar os insurgentes por trás dos ataques em Bama, e que 20 veículos usados na ofensiva da sexta-feira foram localizados e destruídos.

"Embora um grande número de rebeldes tenha escapado com ferimentos, muitos outros foram presos e cerca de 50 deles morreram em troca de tiros com as tropas do exército, em operação designada para aprender os terroristas foragidos", disse Olukolade.

Tudo o que sabemos sobre:
NIGERIAOFENSIVAGRUPOISLAMICO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.